Catar afirma investigar morte de trabalhador em centro de treinamento da Copa

img

As autoridades do Catar disseram, nesta quinta-feira, que investigam a morte de um trabalhador que se acidentou no centro de treinamento da Arábia Saudita durante a Copa do Mundo de 2022. As informações foram divulgadas no site de notícias The Athletic. “Se a investigação concluir que os protocolos de segurança não foram respeitados, a empresa está exposta a investigações judiciais e duras sanções econômicas”, afirmou o governo em comunicado. Segundo o The Athletic, o falecido seria um filipino de quase quarenta anos que caiu de uma empilhadeira, enquanto consertava iluminação em um estacionamento. Várias fontes disseram que ele não estava usando cinto de segurança. “A embaixada filipina em Doha também está investigando este caso”, disse o Ministério das Relações Exteriores filipino à AFP, sem fornecer mais detalhes neste momento. Em outro comunicado, a Fifa se declarou “profundamente triste com esta tragédia”. “Entramos em contato com as autoridades locais para pedir mais detalhes”, acrescentou a organização em nota. O Catar tem um mecanismo de indenização para acidentes de trabalho e salários não pagos, que repassou mais de 350 milhões de dólares este ano, segundo as autoridades. Desde que foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2022, em dezembro de 2010, o pequeno emirado do Golfo foi criticado pelas condições de trabalho e de vida de centenas de milhares de trabalhadores migrantes da Ásia e da África. Doha responde que fez reformas inéditas no código do trabalho, aplaudidas pelas organizações sindicais, que, no entanto, pedem uma aplicação mais rigorosa. O total de mortes em acidentes de trabalho durante os preparativos para a Copa do Mundo varia de acordo com as fontes. O Catar diz que 414 pessoas morreram entre 2014 e 2020. As ONGs apontam para vários milhares desde 2010. O post Catar afirma investigar morte de trabalhador em centro de treinamento da Copa apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.

×