Farense quer fazer história, mas "obrigação" está do lado do Sporting

img

"Quando uma equipa como a nossa, de II Liga, vai enfrentar uma grande equipa de I Liga, sendo o Sporting, um dos três 'grandes', a obrigação está do lado deles. Isso só tem de retirar a ansiedade, o excesso de nervosismo. Se perdermos em Alvalade, acaba por ser uma coisa normal, se empatarmos é bom, se ganharmos entramos na história. E vamos tentar entrar na história", disse Vasco Faísca, recordando que o Farense "só ganhou uma vez" no terreno do Sporting, na edição de 1990/91 do escalão principal. O treinador falava na conferência de imprensa de antevisão ao encontro de estreia na competição para as duas equipas, que integram o Grupo B, além de Rio Ave e Marítimo. "Vai ser um jogo dificílimo contra uma grande equipa, em casa deles, mas entramos em todos os jogos para tentar ganhar e este não é exceção", salientou Vasco Faísca. O treinador acrescentou que as ausências nos 'leões', devido ao Mundial2022 que se disputa no Qatar, podem beneficiar os algarvios. "Tem alguns jogadores importantes no Mundial e isso, para nós, pode também ser algo interessante para explorar", referiu. Vasco Faísca, de 42 anos, admitiu o simbolismo de "um jogo especial" entre Farense e Sporting, as duas equipas que representou nas camadas jovens enquanto futebolista. "Não podemos esconder o nosso percurso. Sou de Faro, comecei no Farense, estou na cadeira de sonho, muito feliz, e vou enfrentar, por assim dizer, o segundo amor", frisou. O reencontro com Rúben Amorim, com quem partilhou balneário no Belenenses e que substituiu como técnico no Sporting de Braga B, também será especial. "Quando o vir, vou-lhe dar um grande abraço. É uma pessoa de que gosto, um grande amigo, um treinador que aprecio imenso. Vai ser também engraçado por isso", afirmou. O treinador do Farense destacou ainda o facto de o clube algarvio já ter vendido 500 bilhetes para o jogo frente ao Sporting. "É um dado muito relevante. Uma equipa de II Liga numa quarta-feira à noite, numa competição que não atrai tanto como o campeonato, colocar 500 pessoas a 300 quilómetros de distância não é para qualquer clube. Só tem de nos orgulhar e sublinhar a força que este clube tem, que ainda não está no ponto que todos nós queremos, como nos anos 90. A resposta dos nossos adeptos é excecional e espero que, em campo, possamos retribuir este carinho e este apoio", frisou. Já o avançado luso-romeno Cristian Ponde antecipou um "jogo difícil contra uma das melhores equipas de Portugal", o que será uma "motivação extra" para os algarvios, que jogam "sempre para ganhar". O dianteiro, que também passou pela formação 'leonina', espera um jogo "especial" a nível pessoal: "Vai ser engraçado. Da minha geração, só está o Ricardo Esgaio. Basicamente, cresci no Sporting, como pessoa e como jogador, e tenho muito a agradecer ao clube". A partida de estreia de Sporting e Farense na Taça da Liga está marcada para o Estádio José de Alvalade, na quarta-feira, às 20.45, com arbitragem de Nuno Almeida (Associação de Futebol do Algarve).

×