Luís Freire quer Rio Ave "equilibrado" para duelo com o Boavista

img

Depois do desaire na última jornada, no terreno do Casa Pia (1-0), Luís Freire quer recuperar, em casa, o embalo pontual, mas, sobretudo, "corrigir os erros cometidos" com uma postura de "organização e foco" "Temos de apreender e crescer com as derrotas, corrigindo o que errámos para estarmos melhor no próximo jogo. A palavra chave numa I Liga tão difícil como esta é o equilíbrio, e queremos mostrar isso com uma vitória neste jogo", disse o técnico. O treinador do Rio Ave considerou que a equipa "só tem um dia para viver a euforia das vitórias ou luto das derrotas", lembrando que o campeonato é uma prova de regularidade, em que o grupo tem de saber lidar com os "altos e baixos". "Quando ganhamos parece que está tudo bem, e os pontos amealhados ajudam, mas, quando perdemos, ficamos tristes. Este campeonato é uma maratona e não um sprint. Temos de saber lidar com os momentos em que tudo sai bem, mas também com as séries negras de resultados, que felizmente ainda não tivemos", desabafou. Sobre o Boavista, Luís Freire falou de um adversário que, apesar de não vencer há cinco jornadas, tem "bons valores individuais e também é forte coletivamente", mas vincou que o foco tem estar na prestação da sua equipa. "Independentemente da estratégia que o Boavista possa apresentar, estamos preparados e temos de estar organizados. Temos a nossa forma de jogar, e queremos ser incisivos, agressivos, pressionantes, reativos à perda de bola, e sempre a procurar o golo", partilhou. Questionado se o Rio Ave poderá explorar uma eventual quebra anímica dos 'axadrezados' pela série de jogos sem vencer, o técnico lembrou que esse é um fator que "não pode controlar". "Cada equipa reage à sua maneira, e não podemos controlar a postura do adversário. Se vamos encarar um Boavista intranquilo, ou se vão dar uma grande resposta, é algo que não nos compete. Temos é de dar tudo, da nossa parte, para jogar para ganhar", vincou Luís Freire. O treinador do Rio Ave falou, ainda, na afirmação do médio grego Samaris no 'onze' do Rio Ave, mas lembrando que o ex-Benfica "é apenas mais um a ajudar a equipa". "A força do nosso grupo é que todos estão prontos para dar o seu contributo, e o Samaris não foge à regra. Já conquistou muito na sua carreira, está no Rio Ave para conquistar mais. Jogadores experientes como ele querem sempre fazer melhor", concluiu Luís Freire. Para este embate com o Boavista, o avançado Aziz tem a sua utilização em dúvida, devido a problemas físicos, enquanto o médio Joca está fora das opções, também devido a lesão. O Rio Ave, 13.º classificado, com 12 pontos, recebe este domingo o Boavista, oitavo com 17, numa partida agendada para as 15:30, que terá arbitragem de Rui Costa, da Associação de Futebol do Porto.

×